Planeta Para o Maneta

Corre hoje uma iniciativa.
Daquelas que vão mudar o mundo. Já amanhã.

Chama-se “A Hora do Planeta”.

Parece que a acção visa que durante uma hora inteirinha o mundo se desligue. (Electricamente falando…)

A coisa começou a brincar, na Austrália, e acabou por salvar o mundo, tornando-se num marco importante “para a sustentabilidade“.
Tudo à distância da mão ao interruptor.

Apenas a mim não convence grande coisa.
Parece-me isto uma espécie de powerpoint gigante – daqueles recebidos como spam no nosso mail – em que se apela a sermos mais bonzinhos uns para os outros, a escutarmos a nossa voz interior, a descobrir como o mundo é belo se assim o fizermos e virmos… Banais, vazios e inócuos.

Não me mandem apagar a luz.
Parei o meu carro e apeei-me em plena Avenida da República, frente ao Campo Pequeno, naquela tarde de semana em que, qualquer dia há dez anos, Portugal inteiro parou por um minuto agitando consciências sobre o que se passava no – ainda hoje – desgraçado Timor-Leste. E repetia-o.
…Para palhaçadas, tenham paciência.

Até porque hoje, em Portugal (na Suécia não sei, que eles não são bem humanos…) há jogo de selecção a essa hora…

…É dia de hino à electricidade.

Logo, pelo menos por cá, lá vai o planeta para o maneta.

Insustentáveis Levezas

Ah, e Bola Também. Gajas e Bola…

Já aludi repetidas vezes aos favores que a D. Carolina Salgado tem feito a este blog (salvo seja!).

É hora de reconhecer o benefício que o jogo da bola tem para o meu ego virtual.

Acabei de postar um texto sobre os desenvolvimentos – diria mais, “alongamentos” – do jogo da final da Taça da Liga…
…Para o qual precisei de um clip a ilustrar a avaria em causa no post.

Fui buscá-lo a um sítio, gravei-o, coloquei-o no YouTube e fiz a hiperligação para o meu textinho.
Pronto.

A graça é que em menos de 24horas esse clip de 22 segundos só foi visto quase 1.500 vezes! Uma freguesia muito maior que a de clips originais que tenho posto no YouTube e que – mesmo com alguma saída – não foram nada disto!

Fica a necessária correcção: a equipa vencedora na net são “gajas” E “bola”.

GIMP

O Gimp é um programazinho de edição de imagem.

Leve, rápido, gratuito, quase sempre estável, é uma boa proposta para quem precisa ou apenas quer ter uma ferramenta destas sempre à mão.

Na formação que decorre lá na escola, os formadores escolheram-no para ilustrar as imensas possibilidades de manipulação digital hoje ao alcance de todos.

Partilho convosco uma tentativa deste vosso amigo responder ao desafio das “Torres da Planície”.

(Foto de Partida 1)

(Foto de Partida 2)

(Imagem de Chegada)

Eu Mostro-lhes Como É…

Isto é um vídeo.

Sobre o sofrimento lancinante de um homem. Que perdeu um jogo e por isso se achou uma vítima da vida.
Chamado ao relvado para receber a medalha que lhe tocou na prova, quis marcar a sua posição.

O que fez?

A) Subiu ao relvado e aceitou a medalha como elemento de um grupo de trabalho que foi finalista numa taça?
B) Recusou-se a subir ao relvado para evitar o achincalho?
C) Subiu ao relvado e recusou-se a aceitar a medalha para evitar o achincalho?
D) Subiu ao relvado, aceitou a medalha mas deu-a ao primeiro apanha-bolas que achou à beira do campo, como forma de achincalho?
E) Numa atitude típica de novo-riquismo mimado de pontapeador de bolas, subiu ao relvado, alinhou com a equipa em bicha na cerimónia da entrega das medalhas, aceitou para a mão a medalha que lhe coube, lançou-a grosseiramente pelos ares e ficou não só de papo cheio com a vingançazinha malcriada, como certo de que um escravo qualquer lhe iria apanhar a medalha do chão, já que elas não pegam de estaca?

…Ah, pois “E”!

Por estas e outras é que eu gosto tanto de futebol.

Mas também não havia que enganar. Já dizia o outro sobre o Menino-Génio…

KOYAANISQATSI

A propósito de uma coisa, lembrei-me daquela de “quando o discípulo está pronto, o mestre aparece”.

Este é um filme com apenas 27 anos. De Godfrey Reggio. Que ninguém conhece.
Mas que vale a pena.

Sobre o nosso lugar na bola azul.
Sem argumento, nem diálogo, nem personagens. Ou com 6.000.000.000 delas.
…Numa viagem à procura de um equilíbrio.

Quem Por Aqui Passe… VIII

Muita gente por aqui passa.
Ou, mesmo se não muita, muita para mim…

…Como aquela minha visita repetida de Santarém.
À beira do meu Tejo.
À beira deste blog.

…A contemplar o encher e o vazar da corrente? As migrações e os regressos?
Espero que também para beber uma gota de água.